[Filme] Resenha: Cinquenta Tons de Cinza

segunda-feira, fevereiro 23, 2015
Olá gente, como vão?! Primeiramente me desculpem pelo o sumiço. Estava viajando e só cheguei recentemente, por isso não tive como atualizar o blog como gostaria. Consequentemente, também só consegui assistir ao filme Cinquenta Tons de Cinza hoje.

E bem não tenho como não comentar as minhas impressões sobre o filme. Durante a semana fugi de todas as resenhas, comentários e matérias sobre ele. Não quis ser influenciada por nenhuma opinião antes de assistir e julgar por mim mesma, mas mesmo assim ainda cheguei a ouvir algumas coisas negativas.

Mas enfim, a ansiedade pela a espera acabou! Assisti ao filme e gostei muito. O filme não superou as minhas expectativas e honestamente eu nem esperava que fosse, porque se acontecesse o filme acabaria sendo melhor que o livro e isso é quase sempre muito difícil de acontecer, mas  o filme conseguiu corresponder ao que eu estava esperando. 

Vou dividir essa resenha nos dois aspectos que eu considero os mais importantes.

Roteiro/Adaptação: Achei o filme muito fiel ao livro de forma geral. Ele seguiu uma linha de eventos que deu sentido a história do livro, sem ficar nenhum desentendimento ou algo mal explicado. O que não quer dizer que eu não teria gostado que algumas coisas como por exemplo os motivos da hesitação da Ana fossem mais explorados. Mas no fim das contas, isso é um filme, não tem como explorar absolutamente todos os aspectos. O principal para mim era mostrar como que os dois se apaixonaram, o porque da Ana estar disposta a tentar ser o que o Christian queria, bem como o porque ele abriu tantas concessões por causa dela. Acho que isso era o principal e o necessário a ser explorado e não exatamente as cenas sexuais. O que eu aliás, achei ótimas. Ficou uma coisa bem sensual, de bom gosto e que principalmente passou a ideia geral do que elas representam. Elas são parte essencial da história, muita coisa gira em torno delas, mas mais do que aquilo eu acho que não era necessário, afinal de contas, isso não é um filme pornô.
Enfim, algumas coisas e personagens ficaram de fora. Mas nada que eu ache que tenha sido essencial pra esse filme. O necessário a ser mostrado estava lá e confesso que gostei muito dos detalhes explorados. Os cenários eram iguaizinhos, as mensagens de texto e os presentes estavam lá... Isso era algo que eu queria muito que tivesse e fique feliz de ver.
Interpretação/Direção: Gostei muito das interpretações. Achei que o Jamie soube capitar a essência do Christian. Senti falta da intensidade e do lado control-freak que é marca registrada do Grey e da qual me dava tanta angustia e raiva no livro. Mas fiquei relativamente satisfeita com o que eu vi, concordo que o Christian é um personagem difícil de interpretar e realmente não estava esperando tanto assim dele. Agora quem me surpreendeu mesmo foi a Dakota... Ela deu aquele ar atrevido, espontâneo e ingênuo tão característicos da Ana, só achei ela confiante demais. A Ana do livro é mais insegura de si e vivia em um eterno conflito pessoal em relação ao estilo de vida do Grey. Como disse, achei esse aspecto pouco explorado. Senti falta também dos pensamentos dela. Foi estranho ver o filme ser contado em 3ª pessoa ao invés da 1ª.
Quanto a direção, gostei da Sam. Como eu disse, ela e a roteirista se preocuparam em mostrar alguns dos detalhes que fizeram o 50 tons ser o que é. Principalmente fazer uma coisa sensual, atrevida e de bom gosto nas cenas sexuais, principalmente as do quarto vermelho. Fiquei meio receosa em relação a isso, mas não saí decepcionada. 
Realmente, no todo eu gostei do filme. A minha única queixa é que achei o lado negro do Cristian pouco explorado. 

Confesso que não gostei tanto assim do 1º livro. O Christian foi um personagem um pouco difícil de assimilar e gostar. Não curtia aquela necessidade dele de punir uma pessoa que ele gosta e tirar satisfação disso. Por isso, que no fim do livro comemorei muito a atitude da Ana. Porque o primeiro livro eu só continuei a ler por causa dela. A Ana me intrigava ao ponto de eu continuar a ler só para saber até que ponto ela chegaria e o que faria. Mas depois e já no segundo livro, o Grey foi me conquistando e foi ai que a história me ganhou de vez. Mas essencialmente eu gosto de 5o tons exatamente pelo o fato de ela não ser submissa.
Mas enfim, já estou ansiosa pelo o segundo! Aliás, chega quando? hahaha
Tecnologia do Blogger.