Review: Maybe Someday - Colleen Hoover

Título Original: Maybe Someday
Editora: Atria Books
Páginas: 385
Lançamento: Março de 2014
Gênero: Romance, Contemporâneo, New Adulto.
Onde Comprar: E-book Kindle-> Amazon BR

Sinopse: Aos vinte e dois anos de idade, Sydney tem uma ótima vida: Ela está na faculdade, com um emprego estável, apaixonada pelo o seu maravilhoso namorado, Hunter, e dividindo um apartamento com a sua melhor amiga, Tori. Mas tudo muda quando ela descobre que Hunter a tem traído - e tudo o que lhe resta é tentar decidir o que fazer a seguir. Sydney fica cativada por Ridge, seu misterioso vizinho. Ela não consegue tirar os olhos dele ou parar de ouvir a forma apaixonada pela a qual ele toca o seu violão todas as noites em sua varanda. E também há algo sobre Sydney que Ridge não consegue ignorar. Quando o inevitável encontro deles acontece, logo eles se veem precisando um do outro de outras maneiras...
Colleen Hoover mais uma vez surpreende. Eu realmente fico impressionada com a capacidade dela de inovar e criar histórias com pegadas diferentes. Na maioria da vezes os autores tem determinados padrões que se repetem em todos os livros. Mas isso não acontece com a Colleen. Ela não só difere por completo a personalidade dos seus personagens como também sempre inova no plano de fundo e dramas que movem as histórias. Ela não é uma autora que segue os outros e escreve mais do mesmo. Ela é do tipo que cria os padrões para os outros seguirem.

O que mais me impressiona é a qualidade das histórias. Parece que ela coloca tudo de si e mais um pouco em tudo que escreve. Ela cria os personagens e vive a vida de cada um deles.

Eu já nem sei mais qual é o meu livro dela favorito, porque cada um deles me tocou de formas diferentes. Mas com certeza, Maybe Someday é um dos meus três favoritos e provavelmente é o livro mais sensível e rico em detalhes que ela já escreveu. Para mim, ele tem tudo o que um livro precisa de ter para ser perfeito.

Aqui a gente tem a Sydney e o Ridgey. Ambos são adoráveis e já logo no começo se tornam extremamente queridos. Ela foi uma das personagens femininas mais fofas e coerentes que eu já "conheci". E ele além de sexy é também extremamente correto, altruísta e compassivo. 

Os dois são vizinhos e todos os dias as 20h a Sydney vai para a varanda vê-lo tocar violão. Até que um dia ela descobre que o seu namorado a tem traído com a sua colega de apartamento e se vê sem nenhum lugar para ficar. Ele a convida para morar em seu apartamento com a condição de que ela o ajude a escrever músicas para a sua banda. Sem muita saída, ela acaba aceitando. Eles se sentem completamente atraídos um pelo o outro, mas o problema é que a Sydney acabou de sair de uma relação machucada e ele tem uma namorada de 5 anos da qual ele é completamente apaixonado e leal. Qualquer coisa além de amizade é impossível para eles.

A música acaba fazendo-os se conectarem de uma forma muito mais profunda e logo a atração física, se torna um sentimento que os consume. No entanto, eles sabem que não podem fazer nada em relação a isso. Ela porque sabe que ele ama a namorada e se recusa a ser uma Tori (a sua ex amiga que a traiu com o seu ex namorado). E ele porque é fiel e leal a namorada que tanto ama. Só que nem tudo é tão preto no branco. E é isso que eles vão descobrir.
"Ei coração, você está ouvindo? Eu e você estamos oficialmente em guerra."
Mas não se preocupem. Porque apesar da situação, a Sydney não é do tipo que sai por ai curtindo roubar o namorado das outras e nem ele é do tipo sacana. E o interessante é que nem a namorada é uma chata da qual acaba ajudando o leitor a criar certa antipatia para termos uma desculpa para torcermos pela a "outra". Ela é extremamente fofa ao ponto de entendermos perfeitamente o porque do Ridge ama-la tanto.

Querem um conselho? Embarquem nessa história porque ela é linda e emocionante. Mostra que a gente não manda no coração e as vezes por mais que lutemos contra, não tem como fugir dos sentimentos. A única coisa que podemos é controlar as nossas ações e não fazer com os outros o que não gostaríamos que fizessem conosco. 
E também preparem os lencinhos porque você não vai chorar pouco não.
"Como sempre, eu aprendi que não podemos dizer ao coração o que fazer, quando, quem e como devemos amar. O coração faz o que diabos ele quer fazer. A única coisa que podemos controlar é se vamos dar as nossas vidas e as nossas mentes a chance de eles alcançarem os nossos corações ".

6 comentários:

  1. Eu sempre fico meio assim para ler livros com triângulos amorosos, não gosto :/ Mas Colleen é diva, né? Estou pensando se consigo ou não ler, e quando =p

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que eu até gostava!? Mas ai cansei um pouco. Tento evitar, mas dependendo do autor eu sei que mesmo com triangulo o trem vai ser bom. Daí me aventuro... o que é realmente o caso da Colleen. Esse livro aqui eu aconselho mesmo. Ele é ótimo. Foi um dos meus preferidos do ano. ;) =*

      Excluir
  2. Essa autora foi uma surpresa para mim em 2014. Quando todo mundo já linha lido Métrica e adorado, eu comecei por Um caso perdido e amei, depois li Métrica e amei também. Agora to querendo ler tudo dela, espero que a Galera lance esse por aqui que parece ser ótimo! =)

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comecei pelo o Métrica tb. E na época amei, mas sabe que hoje comparando ele com os outros livros dela, acho aquele até mais fraco.
      A Galera Record vai lançar Maybe Someday e tb Ugly love. Mas só que cada um em um ano. Eu não lembro qual dos dois vai ser em 2015. Mas fica tranquila que eles vão chegar! ;)
      Bjos!

      Excluir
  3. Eu gosto bastante desse tipo de livro "perfeito", mas confesso que sou daquelas que sofre com triângulos amorosos. Principalmente, quando todos os envolvidos são queridos. Mas eu preciso ler esse livro, porque amo essa capa, sinto uma conexão com a história, e acredito que vai ser uma paixão! Ainda não sei exatamente o que fazer, mas provavelmente vou ler, e espero não me decepcionar!rsrs Bjokas.
    entreumlivroe-outro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não gosto de triangulo não inclusive tem um agora me fazendo perder a paciência naquela trilogia Seleção da Kiera Cass. Mas esse triangulo eu diria até que é dos mais tranquilos. Não te faz passar raiva. Acho que o pior que eu já li foi o de Intenso Demais da S.C. Stephens... aquele ali é puxado, já leu? hahaha Esse aqui vale muito a pena. O livro é liiiiiiiindo e olha que eu odeio triangulos. kkkkkk =***

      Excluir

Tecnologia do Blogger.