Resenha: Na Ilha - Tracey Garvis Graves

domingo, agosto 10, 2014
Nome Original: On the Island
Editora: Intríseca
Ano: Brasil 2013 / EUA 2012
Páginas: 288
Gênero: Romance, Contemporâneo, Adulto.
Anna Emerson é uma professora de inglês de 30 anos desesperada por aventura. Cansada do inverno rigoroso de Chicago e de seu relacionamento que não evolui, ela agarra a oportunidade de passar o verão em uma ilha tropical dando aulas particulares para um adolescente. T.J. Callahan não quer ir a lugar algum. Aos 16 anos e com um câncer em remissão, tudo o que ele quer é uma vida normal de novo. Mas seus pais insistem em que ele passe o verão nas Maldivas colocando em dia as aulas que perdeu na escola. Anna e T.J. embarcam rumo à casa de veraneio dos Callahan e, enquanto sobrevoam as 1.200 ilhas das Maldivas, o impensável acontece. O avião cai nas águas infestadas de tubarão do arquipélago. Eles conseguem chegar a uma praia, mas logo descobrem que estão presos em uma ilha desabitada. De início, tudo o que importa é sobreviver. Mas, à medida que os dias se tornam semanas, e então meses, Anna começa a se perguntar se seu maior desafio não será ter de conviver com um garoto que aos poucos torna-se homem..
Eu li esse livro a uns dois anos atrás. E como ele é um dos livros mais emocionantes que eu já li, resolvi postar aqui também no blog  a resenha que eu escrevi dele na época. Não é a toa que ele se tornou best seller do New York Times.

A verdade é que antes de ler eu ouvi tantas coisas boas dessa história que foi impossível de ignora-las. Eu não sabia exatamente o que esperar. Mas putz! Que boa surpresa foi esse livro. E o engraçado é que quando eu comecei a lê-lo eu já tinha certeza de como ele iria terminar. Mas eu não poderia estar mais engana. Ainda bem! Porque uma das melhores coisas de se ler é quando um livro consegue te surpreender e não ser previsível. Principalmente no quesito romance.

E que leitura intensa! Acho que o leitor sente todos os tipos de emoções. A Tracey  Garvis-Garves é uma fantástica escritora! Ela te prende a história e te coloca no lugar de todos personagens. Eu senti desespero, choque, preocupação, tristeza, felicidade. Foi uma loucura. E o ritmo da escrita dela é ótimo. Ela desenvolveu a história e os personagens passo a passo, sem pressa e sem perder o ritmo.

E sobre o que é o livro!? É basicamente o que está escrito na sinopse. Anna é uma professora de inglês que tem 30 anos de idade. E aceita o trabalho de ser tutora de T.J na casa de verão dos pais dele nas ilhas Maldivas. Ele é um garoto de quase 17 e que está atualmente em remissão. Só que como nem tudo são flores, o avião particular deles cai no meio do oceano indico e por sorte, eles conseguem encontrar uma ilha. Anna e T.J se veem numa vibe meio “Lost” misturado com “A lagoa azul”. Tentando se adaptar e a sobreviver às dificuldades do que é estar praticamente sozinho em uma ilha deserta.

E obviamente que quando você joga um homem e mulher em uma ilha por um longo período de tempo, é provável que eles fiquem juntos. Especialmente quando as duas pessoas se tornam muito próximas e íntimas por dividirem juntas todas as dificuldades de uma ilha. Joga carência e atração no meio e ai é claro que as linhas da amizade e da paixão se misturam. É claro que nesse caso quando a gente escuta uma mulher de 30 anos com um menino de 16 soa meio estranho. Não pela a diferença de idade, mas por ele ainda ser um garoto e ela já uma mulher adulta. Quanto a isso eu confesso que fiquei meio reticente inicialmente. Mas para a minha surpresa, o relacionamento entre eles só começou a se tornar um “algo a mais” depois que ele fez 18 anos e  começou a se tornar um homem. Até então a Anna não o via de outra forma... Tudo aconteceu de forma gradual. Desta forma, eu pude ficar tranquila e curtir a jornada numa boa, porque realmente diferença de idade não é algo que me incomode.
"Eu puxei os meus braços que estavam por de baixo do corpo dela e coloquei o seu cabelo por trás de suas orelhas. “Eu te amo Anna.” O olhar de surpresa em seu rosto me fez perceber que ela não esperava por isso. “Você não deveria ter se apaixonado,” ela sussurrou. “Bem, eu me apaixonei,” eu disse, olhando em seus olhos. “Eu tenho estado apaixonado por você a meses. Estou te contando agora porque eu acho que você também me ama. Você só acha que não deveria. Você irá me contar quando estiver pronta. Eu posso esperar. Eu puxei a boca dela para a minha e quando acabou, eu sorri e disse, “ Feliz aniversário.” 
E que relacionamento lindo!. Tão fofo, tão doce e tão tocante. A forma como se apoiavam, amavam e cuidavam um do outro. Os dois se equilibravam porque a Anna por ser mais velha já tinha o conhecimento de certas coisas que o T.J por estar preso a uma ilha não teve a chance de conhecer. Ao mesmo tempo o espírito jovem dele trouxe a tona um lado mais leve dela. E na realidade, depois de um tempo você já nem percebe mais que existe 13 anos de diferença entre eles.

E o leitor tem a oportunidade de conhecer ambos intimamente, pois a história é contada por pontos de vistas alternados.

O livro é muito mais do que eu falei aqui... Isso só foi uma introdução, porque muita coisa acontece nessa história. O mundo dá várias voltas antes de chegarmos ao fim.


E eu AMEI o fim. Terminou do jeito que tinha que terminar. Livro fantástico! Recomendo pra todos os que curtem um bom romance.
Tecnologia do Blogger.