Review: Broken Prince | Príncipe Partido (The Royals #1) - Erin Watt

Editora: Timeout LCC
Língua: Inglês
Páginas: 350
Gênero: Romance, Conteporâneo,  Young Adult e New Adult.
Lançamento: Julho de 2016
E-book - Amazon Br

Editado: A resenha desse livro foi feita baseada da edição americana, porém esse livro já encontra-se publicado no Brasil.

De lutas e rixas escolares a vidas arruinadas dentro de mansões brilhantes, um garoto tenta salvar a si mesmo.
Reed Royal tem tudo - aparência, status e dinheiro. As meninas da sua  escola de elite fazem fila para sair com ele, os caras querem ser como ele, mas Reed nunca deu a mínima para ninguém, a não ser a sua família até o dia que Ella Harper entrou em sua vida.O que começou como um ressentimento e uma necessidade de fazer a nova enteada de seu pai sofrer, se transformou em algo completamente diferente: manter Ella por perto e segura. Mas quando um erro tolo a leva para longe dos braços de Reed e traz o caos para a família Royal, o mundo inteiro de Reed começa a desmoronar ao seu redor. Ella não o quer de volta. Ela diz que eles só irão destruir um ao outro. Ela pode até estar certa. Secredos, traição e inimigos. Não são como nada que Reed já tenha lidado antes e se ele for conseguir de volta a sua princesa, ele terá de provar ser um Royal digno.
Pessoal, essa é sequência de 'Paper Princess' da trilogia The Royals das autoras Elle Kennedy e Jen Frederick escrevendo com o pseudônimo de Erin Watt. Esse não é um livro "standalone", então se você não tiver lido o livro anterior, não é aconselhável ler Broken Prince. Se quiser saber mais sobre o primeiro volume, aqui está a minha resenha de Paper Princess.

Bom, o livro começa exatamente da onde o anterior terminou. Podemos dizer que o Reed conseguiu estragar tudo colossalmente e por isso a Ella fugiu da cidade e agora ele está arrasado com a partida dela e todos estão tentando reencontra-la. E as coisas na casa Royal estão no minimo tensas. Todos culpam o Reed pela a fuga dela e o ressentem por isso, principalmente o Easton. De repente, o Reed se sente no fundo do poço e sem saber como sair. Aliás, essa fratura entre os Royals reflete até na escola que acaba deixando as coisas por lá meio complicadas também.

O livro é contado tanto pelo o ponto de vista da Ella quanto pelo o do Reed e é bom que dessa forma as autoras meio que abriram o leque sobre tudo o que tem acontecido e está para acontecer na trama.

Em relação aos irmãos eu imaginei que nós teríamos um pouco mais de insight em relação aos segredos e até mesmo sobre a personalidade deles, mas na verdade, a Erin Watt só abriu o jogo em relação ao Gideon e mesmo assim ele pouco apareceu. Sobre os gêmeos a gente ainda continua no escuro. Na realidade, acho que não existe nada muito complexo sobre eles que precise ser revelado, mas como a Ella não tem um grande relacionamento com ambos, então eles pouco aparecem. Novamente, tirando o Reed, o Easton continua ganhando um maior destaque e ele é de fato, um personagem bem carismático e fascinante. 

No entanto, apesar de tudo, o foco desse livro está na reconstrução do relacionamento da Ella com o Reed quanto com todos os outros Royals. Inevitavelmente, ficou tudo abalado, principalmente entre ela e o Reed. A Ella ficou extremamente machucada com a traição dele e a última coisa que ela quer nesse momento é vê-lo. Contudo, como foi apresentado o ponto de vista dele, nós tivemos a chance de conhecê-lo melhor e posso dizer com absoluta certeza que se eu já gostava dele antes, depois desse livro, gosto ainda mais. O Reed não desiste dela em nenhum momento e faz o possível e o impossível para tê-la de volta e o empenho dele foi realmente bem fofo.

Não vou contar muito sobre esse livro, porque é importante o leitor sentir o choque das revelações em primeira mão como eu fiz. Saibam apenas que são muitas revelações e coisas que eu confesso jamais ter previsto. Aliás, o livro já começa com uma bomba, então podem se preparar.

Gostei muito desse livro e de poder acompanhar essa família novamente. Em Broken Prince a gente tem a oportunidade de entender melhor os Royals e os demônios que os perseguem. E apesar de todo os problemas, mágoas e ressentimentos, a gente também percebe que existe muito amor e força entre eles. 

Quanto a Ella, afirmo que ela se torna ainda admirável. A determinação e força dessa menina de dezessete anos que já viveu tão coisa ruim na vida é algo impressionante. Isso sem falar na capacidade que ela tem de dar a volta por cima, virar o jogo e não se deixar abater por nada. Como disse na minha resenha do livro anterior, a Ella é uma das personagens mais extraordinárias que eu tive a oportunidade de "conhecer".

Não gostei desse livro tanto quanto Paper Princess, não porque tenha tido algo de errado com ele, mas porque gostei mais do arco do primeiro. Lá a Ella estava descobrindo um mundo novo, se apaixonando e tendo que lidar com as adversidades dessa nova vida. Existia também aquele muro de resistência que ela teve que derrubar ao se tratar dos Royals e isso foi pra mim a melhor parte da história até agora. Já nesse segundo volume, a trama naturalmente já segue para outros caminhos - que também foram bons - só não foram tão empolgantes quanto os do primeiro. Mas eu adorei o livro, e esse também entrou para a minha lista de melhores do ano e novamente me deixou angustiada com o final, porque ele também termina com um baita gancho para o próximo volume. Então, que venha outubro com 'Twisted Palace'.
Tecnologia do Blogger.