Review: Confess - Colleen Hoover

quarta-feira, abril 01, 2015
Editora: Átria Books
Idioma: Inglês
Gênero: Romance Contemporâneo, Adulto.
Páginas: 320
Lançamento: Março de 2015
Onde Comprar: Amazon
Sinopse: Aos vinte e um anos, Auburn Reed já perdeu tudo que era importante para ela. Em sua luta para reconstruir a sua despedaçada vida, ela tem os seus objetivos estabelecidos e não há espaço para erros. Mas quando ela entra em um estúdio de arte em Dallas a procura de um trabalho, ela não esperava sentir uma profunda atração pelo o enigmático artista que trabalha lá, Owen Gentry. Pela a primeira vez, Auburn assume o risco e coloca o seu coração no controle, apenas para posteriormente descobrir que Owen guarda grandes segredos. A magnitude do passado dele ameaça destruir tudo o que é importante para Auburn, e o único jeito de colocar a sua vida de volta nos trilhos, é tirar Owen dela. A última coisa que Owen quer é perder Auburn, mas ele não consegue convecê-la de que as vezes a verdade pode ser tão subjetiva quanto a arte. Tudo o que ele precisaria fazer para salvar o relacionamento é confessar. Mas neste caso, a confissão pode ser mais destrutiva do que o pecado em si.
Confess, último livro da escritora Colleen Hoover, traz para o leitor uma história sobre sacrifícios, riscos, escolhas e especialmente destino. Bom, a premissa do livro é exatamente o que está na sinopse. A Auburn é uma jovem de 21 anos, recém chegada no Texas e está desesperadamente a procura de um outro emprego que a possibilite pagar os honorários exorbitantes de seu advogado. E é ai que entra o Owen na história.

Um dia voltando para casa, ela repara em um anúncio oferecendo uma oferta de emprego. Logo, ela descobre que trata-se de uma galeria e que o lindo e enigmático contratante é exatamente o pintor das obras expostas. A Auburn fica impressionada ao constatar que cada obra desse autor é baseada em uma confissão deixada por pessoas anônimas em sua galeria.

A Auburn aceita o emprego e a medida que eles vão se conhecendo, ela vai percebendo que existe uma grande atração entre eles. A partir daí, em pontos de vista alternados a cada capítulo, nós vamos pouco a pouco conhecendo a misteriosa personalidade de ambos, bem como os segredos que escondem um do outro. Aliás, segredos estes, que os impossibilitam de ficarem juntos.
"Alguns segredos nunca deveriam se tornar confissões."
Enfim, eu não posso dizer que esse tenha sido o melhor livro da Colleen que eu já tenha lido. Na verdade, eu acho até que foi o pior, o que não quer dizer que seja ruim. É só que já tendo visto em outros livros o que ela é capaz de fazer e como extrair de mim as mais variadas emoções, infelizmente Confess ficou bem a desejar. Com certeza eu esperava bem mais, especialmente depois de ela ter dito que até agora esse era o seu livro preferido. Porém, eu não poderia discordar mais dessa opinião.

Mas enfim, ele foi um livro razoável, por vezes um pouco entendiante. Demorei séculos pra terminar.. Simplesmente não consegui me conectar a história e nem mesmo aos personagens até chegar pelo menos aos 70% do livro. Cheguei a pensar em desistir mas acho que não tive coragem de desistir de um livro da CoHo. O problema disso, eu acredito, está na forma com a qual ela montou a história. Para mim tudo aconteceu rápido demais e não houve uma evolução natural das coisas. O fato de ela ter tido que guardar determinados segredos do leitor, fez com que nós ficássemos meio distantes do romance.
"Eu não me sinto perdida nele de forma alguma, porque pela a primeira vez, sinto como se alguém tivesse verdadeiramente me encontrado."
Honestamente, não posso também dizer que tenha gostado da Auburn. Achei ela muito mosca morta, frágil e insegura. Eu até poderia lidar com essas características numa boa se não fosse pelo o fato de ela por medo deixar as pessoas constantemente passarem por cima dela. E embora, eu entenda que esse tenha sido o principal ponto escolhido pela a Colleen para desenvolver a personagem, isso não fez com que eu me sentisse nem um pouco menos frustrada. Por outro lado, eu posso dizer que o Owen foi um dos melhores personagens masculinos que ela criou. Ele é daquele tipo de pessoa que as suas atitudes o tornam admirável. 
"Minha mãe diz que há pessoas que você encontra e passa a conhecer, no entanto há pessoas que você encontra mas que já parece conhecer. Sinto como se o Owen fosse  o último."
Ainda que esse não tenha sido um dos melhores livros da Colleen, eu tenho uma admiração incrível pelo o trabalho dela, não é a toa que ela é uma das minhas três escritores favoritas. Escrever bons livros nesse gênero sem deixar o clichê de lado deve ser uma das coisas mais difíceis e trabalhosas de se fazer. Mas a Colleen desde o inicio vem se destacando por adicionar elementos novos a seus livros. 

Em Slammed por exemplo, ela acrescentou poesias que ela mesma escreveu, em Maybe Someday ela juntamente com um cantor criou músicas inéditas para o livro, possibilitando que ele gravasse um album em seguida e agora em Confess ela fez uma parceria com um pintor inglês Danny O'Connor para que ele pintasse quadros inéditos exclusivamente para o livro. E devo dizer, que pinturas fantásticas! Fiquei realmente impressionada com a beleza das obras. Diante disso tudo, fico aqui agora imaginando qual será a sua próxima faceta.

Enfim, recomendo esse livro? Sim! Embora, eu não tenha me envolvido o quanto gostaria com a história, o romance e os personagens ainda assim eu diria que vale a pena. Afinal de contas, é da Colleen que estamos falando.
Tecnologia do Blogger.