Review: Darkhouse (Série Experimente o Terror #1) - Karina Halle

Título Original: Darkhouse #1
Série: Experimente o Terror
Editora: Única
Lançamento: 2014
Páginas: 352
Gênero: Terror, Romance, Adulto.


Editado: A resenha desse livro foi feita baseada da edição americana, porém esse livro já encontra-se publicado no Brasil.

Há sempre algo fora do normal em Perry Palomina. Embora ela esteja vivendo uma crise ao passar pela síndrome pós-faculdade, assim como qualquer garota de vinte e poucos anos, ela não é o que chamaríamos de comum. Perry possui um passado que prefere ignorar, e há também o fato de que ela consegue ver fantasmas. Tudo isso vem a calhar quando se depara com Dex Foray, um excêntrico produtor que está trabalhando em um webcast sobre caçadores de fantasmas. Dex, que se revela um enigma enlouquecedor, arrasta Perry para um mundo que a seduz e ameaça sua vida. O farol de seu tio é pano de fundo de um mistério terrível, que ameaça a sanidade da moça e faz com que ela se apaixone por um homem que, como o mais perigoso dos fantasmas, pode não ser o que parece.

Gente! Essa série é boa demaaaaaais! Maravilhosa! Totalmente viciante. Amo! Esse livro é uma mistura de romance e terror/suspense. O que acaba deixando o livro com uma pegada diferente. Porque normalmente você não encontra romances com uma pequena dose terror, no máximo um suspense quando se trata de um thriller. Mas pra quem não curte terror, não se preocupe porque também não é nada tão assustador quanto Stephen King. É mais um suspense, mas como não é um thriller e a história tem como um dos temas "fantasmas", a gente diz que é terror. Mas não se preocupe, dá um medinho, mas nada que vá te fazer querer sair correndo. 

E como é uma série que tem 9 livros - eu estou lendo o 7º - o romance vai acontecendo aos poucos... Não se trata de amor a primeira vista. Então no começo o gênero dominante é mesmo é o suspense.

Nesse primeiro livro, a gente tem a introdução dos personagens, como eles se conhecem e o relacionamento que eles passam a estabelecer. Essa série é contada pela a perspectiva da Perry. Então, a gente só tem a visão dela da história. O que eu pessoalmente acho ótimo. Porque o Dex é um personagem muito complexo. Acho que se nós estivéssemos na cabeça dele, a história perderia um pouco da graça, principalmente no quesito romance. E não porque ele não seja interessante, muito pelo o contrário, o Dex é um dos melhores personagens masculinos que eu já li. Só que a graça do personagem está justamente em não saber ao certo o que ele pensa e sente. Te faz se sentir tão confusa quanto a Perry. Aliás, não só o Dex é um dos melhores, mas a Perry também. E principalmente o relacionamento deles. É muito único e muito diferente. É angustiante e sofrido. Te dá um nó na goela. 
Olha, já li muita coisa por ai, mas acho que esse foi o casal que mais conseguiu me envolver. Estão no minimo no meu top 3.
"Ele tinha um sorriso tão lindo quando o usava para algo bom e não terrível."
Talvez, seja um pouco difícil das pessoas terem uma boa noção do que seja essa série só por esse primeiro livro. Porque como eu disse, não existe muito romance em Darkhouse. Tem que ter paciência. Mas já no segundo a coisa começa a deslanchar. Agora, o romance é naquela vibe do "amor não correspondido" o que pessoalmente é o meu preferido. Especialmente quando é ela que não é correspondida na história. O que é o caso aqui. Porque o Dex é quase 10 anos mas velho que a Perry e ele tem uma namorada gostosona que mora com ele. Eles trabalham na mesma emissora. Ou seja, para a Perry a namorada dele é tudo o que ela não é. Perry tem vinte e poucos anos e não tem emprego. E ela é insegura e com baixa auto estima, porque ela se acha gorda. Não que ela seja, só não corresponde aos padrões de modelo do qual a mãe vive jogando na cara. Então, ela não se acha bonita o suficiente e logo conclui que o Dex não se interessaria por ela. Só que os dois tem um ponto em comum que os une - ambos veem fantasmas e não sabem muito bem como lidar com isso. 
"Quanto mais eu pensava sobre isso, mais eu me preocupava de que não seria boa o suficiente". - Perry 
"Ela é inteligente, ela é engraçada e não tem medo de correr riscos. Sem falar que ela é linda, sexy e charmosa. Você sabe disso, eu sei disso  e logo todo mundo saberá. A única pessoa que não sabe é ela por causa de idiotas como você que lhe falam o contrário." - Dex
O Dex já faz mais um estilo sarcástico. Ele perde o amigo mas não perde a piada. É extremamente carismático e com um ego nas alturas. É de morrer de rir. Mas ele é também muito frustrante, tem umas coisas que... é melhor nem falar pra não acabar com a graça. Eu sei que hoje depois de conhece-lo melhor eu o entendo, mas antes era difícil e eu acabava frustrada.  Mas enfim... ele é daqueles personagens que fazem uma monte de besteira mas você gosta dele do mesmo jeito. E tirando a parte de ver fantasmas ele é um cara comum. Está longe de ser perfeito ou até mesmo de ser daqueles homens que você ama em livros mais odiaria na vida real.  É um cara com defeitos e qualidade como qualquer outro. E isso faz dele mais real e a Perry também é a mesma coisa. Não sei explicar muito bem, tem que ler a história e ver por si mesma.

Um dia os dois se conhecem em um farol assombrado. E começam a investigar o que aconteceu no lugar. Uma coisa leva a outra e eles decidem fazer um programa na emissora de um canal na web em que o Dex trabalha. O programa se chama "Experimento em Terror" e tem o objetivo de investigar "manifestações paranormais" pelo o país. Ele é o cameraman e produtor e ela é a apresentadora. O problema é que como eu disse anteriormente, eles não sabem muito bem como lidar com os fantasmas e ai surge um monte de problemas. Se alguém aqui já tiver visto aquela série de TV "Supernatural" eu diria que essa parte do "terror" meio que vai naquela linha.

Karina Halle é brilhante e eu sou muito fã. Ela sabe escrever como ninguém. Sabe te prender com cada palavra e você vira refém da história. O leitor sente tudo o que a personagem sente, como se você fosse ela - eu me identifiquei tanto com a Perry que tinha horas que eu já nem sabia mais quem era quem. 

Pessoalmente fico feliz de ver essa série começando a ganhar destaque no mundo. Porque a Karina teve muita dificuldade de conseguir uma editora pra publicar essa série nos Estados Unidos - porque o primeiro livro da série não é categorizado exatamente como um romance. Então, ela mesmo publicou todos eles. E agora ele chegou aqui no Brasil pela a Editora Única e já está a disposição de todos. Espero que ela continue a lançar os outros volumes.

Enfim, não tem uma série que eu poderia recomendar mais. Se você é daquelas pessoas que gosta de um algo diferente, que está cansado de ler "mais do mesmo", procura por algo novo e que principalmente curte uma história que vai se desenvolvendo passo a passo, sem colocar o carro na frente dos bois, então essa série é pra você. 

Quanto ao meu dream cast, é um pouco difícil dizer, porque já desde o começo a Karina mostrou as fotos do cara que fez a promoção do livro (book trailer e etc) e acontece que ele é realmente a personificação do Dex. Curiosamente, ele e a Karina acabaram se conhecendo melhor e a poucos dias atrás eles se casaram. Legal né!? Pois é... ai acabou que na minha cabeça o marido acabou se tornando mesmo o Dex. A garota que fez a Perry é que acho que não se parece muito com a personagem, mas dá pra se ter uma ideia.
PS: fotos retiradas do site Experimento em Terror da Karina Halle.


Karina com os supostos Dex e Perry

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.